5 riscos ambientais essenciais p/ o estudo ST

09/01/2019

Quando falamos sobre riscos de acidente no ambiente de trabalho, normalmente, os abordamos de forma genérica e colocamos no mesmo ambiente com diferentes tipos de riscos!

Não nos leve a mal, não há nada de errado com isso, imagina só toda vez que for estudar sobre segurança do trabalho haver uma breve explicação sobre tipos de risco, legislações específicas, etc.

Mas tendo isso em vista, vamos falar um pouco hoje sobre os 5 riscos ambientais essenciais e a importância desse tipo de classificação para o estudo de segurança do trabalho.

OS RISCOS AMBIENTAIS E A IMPORTÂNCIA DA ANÁLISE DE RISCO

Antes de adentrar nos pormenores do assunto principal, vamos ressaltar a importância da classificação dos riscos ambientais.

Uma delas está na própria análise de riscos, mas o que exatamente é isso? Esse é um processo no qual há o levantamento dos riscos existentes no ambiente de trabalho.

Esse levantamento pode ainda ser qualitativo ou quantitativo, claro, isso dependerá do objetivo dessa análise. Mas independente desse o ponto principal está na minimização desses perigos, controlado de forma efetiva as ameaças que os trabalhadores são expostos em sua rotina de trabalho.

Em resumo, a análise de risco permite a identificação da possibilidade de acidentes de trabalho, mas não somente, os dados gerados também são utilizados para elaboração de medidas de segurança, seleção de EPIs adequados, facção de mapa de risco e preparar ações de educação junto aos colaboradores.

Dessa forma, fica fácil visualizar porque entender a respeito dos tipos de risco ambientais é tão importante para que a empresa possa se preparar e preparar os seus colaboradores para eventualidades.

QUEM DEVE ELABORAR A ANÁLISE DE RISCO?

Não é especificado em nenhum local qual o profissional que deve realizar a análise de risco, contudo, tem-se a convenção de que esse deve ser um profissional (engenheiro, médico ou técnico) especialista em segurança do trabalho.

Afinal de contas, trata-se de uma tarefa que terá impactos na rotina e, quem sabe, até na integridade física, psicológica e social dos colaboradores da empresa.

5 RISCOS AMBIENTAIS QUE VOCÊ PRECISA SABER

Agora que já falamos sobre como aplicar o conhecimento a respeito dos 5 principais riscos ambientais, podemos falar mais a fundo sobre seus conceitos e o que envolvem.

1)      Riscos Físicos

Podemos classificar esses riscos como energia dependente. Esse conceito pode ser encontrado diretamente na Norma Regulamentadora (NR) 09, mais precisamente no parágrafo 9.1.5.1.

Sendo mais claro, na legislação considera-se “agentes físicos as diversas formas de energia a que possam estar expostos os trabalhadores, tais como: ruído, vibrações, pressões anormais, temperaturas extremas, radiações ionizantes, radiações não ionizantes, bem como o infrassom e o ultrassom”.

2)      Riscos Químicos

Quando falamos em riscos químicos, nos referimos diretamente a compostos ou produtos com a capacidade de penetrar em nosso organismo, podendo ser por ingestão direta, por penetrar na pele ou mesmo através da via respiratória.

Nesta última via as substâncias podem ser respiráveis na forma de poeira, fumos, névoa, neblinas, gases ou vapores. Tendo isso em mente, é muito importante estar atento a substâncias voláteis como ácidos e solventes orgânicos, estes, por exemplo, somente podem ser manipulados em capelas de exaustão.

Essa mesma definição também pode ser encontrada na NR 09.

3)      Risco Biológico

Talvez um dos mais complicados dessa lista, o risco biológico engloba agentes como bactérias, fungos, bacilos, parasitas, vírus, enfim... Onde houver a possibilidade de infecção através de seres vivos (e vírus) há então um risco.

Podemos chamar as boas práticas nesse tipo de risco (assim como em outros) de biossegurança, então, caso você escute esse termo, estão se referindo a segurança do trabalho.

Ainda, a Fiocruz que riscos biológicos podem estar ligados a:

  • Agentes patogênicos selvagens;
  • Agentes patogênicos atenuados;
  • Agentes patogênicos que sofreram processo de recombinação;
  • Amostras biológicas;
  • Culturas e manipulações celulares (transfecção, infecção);
  • Animais.

Ademais, existem 4 classes de riscos:

  1. Classe 1: não apresentam risco ao manipulador ou comunidade. Ex: Bacillus subtilis e Escherichia coli;
  2. Classe 2: apresentam risco moderado para o manipulador e fraco para a comunidade. Ex: herpes e Candida albicans;
  3. Classe 3: apresentam risco grave para o manipulador e moderado para a comunidade. Ex: Mycobacterium tuberculosis e Leishmania;
  4. Classe 4: apresentam risco grave para o manipulador e para a comunidade, ademais, também não existe tratamento. Ex: vírus de febres hemorrágicas.

4)      Risco Ergonômico

Até mesmo você ao ler esse texto pode estar em desacordo com a ergonomia. Já fizemos um texto completamente voltado a esse assunto no blog, caso tenha interesse pode lê-lo na íntegra.

Em suma, o risco ergonômico está ligado a forma com que o indivíduo interage com o seu ambiente e ferramentas de trabalho. A cadeira e mesa devem ter a altura correta para o indivíduo, o monitor deve estar na altura dos olhos, dentre outros aspectos.

Alguns exemplos de riscos ergonômicos estão no levantamento de peso, postura inadequada, equipamento não personalizável a cada pessoa, etc. Você pode informar-se mais diretamente na NR 17 que aborda o assunto ergonomia.

5)      Doenças Ocupacionais

Muito falamos sobre risco de queda, risco de choque elétrico, risco de queimaduras, contudo, muito pouco se fala a respeito das doenças ocupacionais que estão tão presentes na vida do trabalhador.

As doenças ocupacionais estão muito ligadas a esforço repetitivo e falta de ergonomia, exemplos muito comuns são:

O desenvolvimento de dores nas costas pelo carregamento de peso;

Distúrbios de coagulação em decorrência de ficar sentado grande parte do expediente (ou todo ele), um exemplo é a trombose;

Desenvolver Lesão por Esforço Repetitivo (L.E.R) por digitar demais, etc.

Ademais, esse tipo de doença pode ter sérios fatores psíquicos e sociais, sendo algo que não pode ser ignorado, seja pelo empregador ou pelo próprio empregado.

Quer saber mais sobre os riscos ambientais ou outros temas relacionados à Segurança do Trabalho? Deixe uma sugestão via e-mail ou pelo Facebook e aproveite para entrar em contato conosco para tirar dúvidas.

E-mail: marketing@bunzlepi.com.br

Lembre-se: sempre verifique o CA antes de usar o EPI.




Blog